Uma não peça

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

por Nany Rabello


Com um riso. É assim que Marília Martins, diretora do grupo Os Cênicos, fundado em 2000, entra no palco para iniciar “Meu nome é M”, seu primeiro monólogo. Pouca luz e muita risada, a comédia mostra uma atriz se preparando para entrar em cena, enquanto se lembra de sua história.

O texto, escrito por Luciana Guerra Malta, foi baseado em entrevistas que a própria Marilia deu. “Há mais de 6 horas de entrevistas gravadas com a Luciana, história da minha vida e dos meus personagens, que ela transformou em ficção. O que se vê no palco é mera coincidência”, conta Marília. O diretor do monólogo, Ribamar Ribeiro, foi aluno de direção central de Marília, que além de atriz ainda é professora de direção e dramaturgia.


Uma personagem cativante, M chega contando sobre sua primeira peça, sua segunda, sua terceira e vai falando de sua vida, seus personagens, seus sonhos... De repente, não se sabe mais onde é o limite do palco, a plateia se torna parte do espetáculo, e o espetáculo parte da platéia. A metáfora do não-ator interpretando uma não-peça.

A reação do público não poderia ser melhor. Riem, cantam, conversam e até xingam junto com a protagonista do grande espetáculo, fazendo um show à parte. O envolvimento é tanto que o público ajudou M até mesmo a reclamar do ex-marido. “Essa peça é feita pra Nova Iguaçu. O público daqui vem pro teatro pra se divertir, pra brincar sem se conter, eu já vim sabendo que ia ser bacana!”, conta Marília.

1 Comentários:

Sanaah disse...

Gosto bastante da linhas que a Nany produz. Parabéns ruiva.

Postar um comentário

 
 
 
 
Direitos Reservados © Cultura NI