Carnaval com farofa

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

por Marcelle Abreu

Carnaval. Diversão. Azaração. O carioca espera ansiosamente por essa época. Quem não gosta de aproveitar para viajar, relaxar, se divertir? E muitos se programam o ano inteiro para curti-lo da melhor maneira possível, reunindo sua turma de amigos para alugar uma casa na praia. "Carnaval sem praia não é carnaval", explica Juliene Alves, 21 anos, que conhece de cor e salteado as várias etapas de preparação. "Quem nunca se viu discutindo o assunto 'onde, quantas pessoas, tempo de estadia, compra de mercado' é por preferir aproveitar de outra maneira."

A voz da experiência sugere uma série de precauções para evitar confusão no final. A primeira delas é formar grupos de pessoas próximas, que já possuem certa intimidade. “Eu sempre passo o carnaval com meus amigos, e não gosto quando alguém pensa em levar uma pessoa desconhecida, pois a gente não conhece, não sabe como ela é", afirma Gabriela Noel, 20 anos, do alto da experiência de quem participa desses bondes desde os 17. "Cada um tem seu jeito e suas manias, coisas essenciais para uma boa relação."


Mas antes de decidir quem vai, é importante pesquisar a casa com uma antecedência de pelo menos três meses. Exagero? Não é assim que pensa Eloy Palmiere, 20 anos, que sabe que o aluguel sobe à medida que o carnaval se aproxima e por isso sugere usar uma parte das férias para procurar o melhor lugar para seu grupo, aproveitando inclusive que em geral todo mundo tem tempo livre em dezembro. "É sempre bom conversar com o proprietário e assim saber em quantos vamos poder viajar", diz ele, que pesquisa a casa na internet antes de convidar os companheiros de aventura.

Esses cuidados evitam problemas no momento em que o grupo está se instalando, pois é cada vez maior o número de senhorios que condicionam o aluguel ao número de usuários da casa. Normalmente, os grupos variam de dez a vinte pessoas. “Carnaval é diversão. Quem quer ficar em casa? O importante é ter pra onde voltar, mas não precisa ser espaçoso, bonito. Tendo um banheiro, cozinha e um espaço pra eu descansar, está ótimo”, garante o estudante de comunicação Felipe Barth, que só dorme de verdade quando o carnaval acaba.

Já Juliene preza o espaço e principalmente a quantidade de banheiros na casa. “Menos de dois banheiros não podem ser. Quando são dois, a gente divide um para homens e outro para mulheres", aconselha ela. Mas a divisão dos banheiros só dura até a noite, quando as mulheres vão tomar banho para sair para os bailes. "Os homens podem tomar banho nas duchas que em geral existem nas casas de praia, pois nós demoramos mais."

Em alguns casos, o grupo é até pequeno, porém é normal encontrar amigos em alguma casa perto. Na prática, isso significa que os dois grupos vão adotar uma casa até a noite, quando todos partem para o ponto de encontro geral, onde a festa é garantida. Churrasco é certo no carnaval, em especial quando se tem muita gente pra comer. É prático, fácil e todos podem ajudar. “Carnaval sem churrasco também não combina, né? Além de serem os homens que ficam responsáveis”, diz Juliene. E quando não tem churrasco procuram fazer algo prático. “A gente faz compras pra levar, pois é mais barato e podemos escolher coisas simples, que agrade a todos e não seja trabalhoso”, completa.

Quando se fala de viajar nessas condições, não podem ficar de fora as histórias que irão perdurar por muitos e muitos anos. Quem não se lembra de algum fato que aconteceu em algum carnaval passado? Não se lembra? Aquele carnaval em que bebeu demais e quando viu já estava você e mais uns cinco correndo pelados pela praia. Quem sabe aquele em que todos se vestiram de mulher e você ainda colocou aquele salto e fez bonito. Homens no carnaval se revelam. Concorda?

Esses carnavais são tão divertidos que nem o tradicional engarrafamento da Ponte Rio-Niterói é suficiente para abalar o humor da rapaziada. "No ano passado, nós fomos para a Região dos Lagos e quando começou o engarramento eu e meus amigos tiramos o isopor chieo de cerveja do carro, aumentamos o som do carro e saímos todos para o asfalto, começando nosso carnaval ali mesmo", conta o estudante de comunicação Fabrício Távora. "Teve gente querendo comprar nossa cerveja.”

2 Comentários:

Gabriela disse...

Ficou otima a matéria minha linda! e como me identifiqueei! hahahah carnaval mais amigos é diversãão garantida neh?! Parabéééns! beijiinhos!

Gostei da matéria
e só lembrando que msmo no engarrafamento bebida e direção não combinam
Pra quem vem pra nossa região é só cutição mesmo
mas gostaríamos de pedir q não desmontassem a cidade e a deixassem limpa
pois para nós moradores é super mercado cheio com filas imensas
bancos lotados e praias
ufa melhor deixar passar a temporada
anão ser quem quer azaração
Gostamos dos visitantes sim, cidade cheia é legal, mas não gostamos da sujeira que infelizmente muitos deixam.
Para todos muita curtição com responsabilidade e bom senso.Afinal, a vida continua após o carnaval.
Deus os abençoe

Ser guiado pelo espírito de Deus é lucro na certa.

Postar um comentário

 
 
 
 
Direitos Reservados © Cultura NI