Família aberta

terça-feira, 3 de novembro de 2009

por Melissa Saliba  


Em 35 escolas de Nova Iguaçu, sábados e domingos são dias de escola cheia. Com crianças e adultos, a Escola Aberta, fruto de uma parceria entre o Ministério da Educação e a Unesco, oferece oficinas de artesanato, karatê, capoeira, educação física e pré-técnico para a comunidade. De manhã até à tarde, as salas e quadras dessas escolas são ocupadas por alunos, professores e, acima de tudo, muita esperança.

"O objetivo é tirar os alunos e sua família das ruas e transformá-los em oficineiros", diz Mariângela da Conceição Soares, diretora da Escola municipal Marcio Caulino, em Austin. A diretora tem orgulho do projeto, que desde 2005 tem ajudado os alunos a melhorar não apenas o desempenho escolar, mas o comportamento em casa.

"Antes a minha mãe não concordava em me deixar vir pra escola no sábado porque eu tinha que cuidar dos meus irmãos pra ela trabalhar, mas, depois que ela soube que podia trazer eles também, ela não apenas deixou como passou a fazer atersanato comigo", diz Raquel Luma, uma menina de cinco anos, entre a oficina de artesanato e a de capoeira.

Na sala do pré-técnico, adolescentes discutem questões sociais com o professor de geografia Felipe Feijór, que os ajuda a identificá-las no cotidiano deles. Enquanto isso, no pátio da escola, o professor Antônio José de Asio, mais conhecido como mestre Comprido, ensina aos alunos, além de jogar capoeira algumas lições de vida.

2 Comentários:

Carol disse...

Muito interessante o projeto! Deveriam existir mais por ai. Parabéns pela matéria Melissa, bem explicada, faz o leitor entender bem o que se passa em seu municipio. Beijos

Culler TOP )O( disse...

PARABÉNS AMIGAA!

Seja bem vinda ao projeto,vc ainda brilhará muito, acredito em vc! Bjs 1000!

Postar um comentário

 
 
 
 
Direitos Reservados © Cultura NI