Explicadora do amor

terça-feira, 22 de junho de 2010

por Marcelle Abreu

Numa manhã de sábado, fui convidada a participar da Feira Brasil, na Faetec. Já ouviu falar? Dificilmente, pois essa teve sua primeira edição esse ano. E o mais interessante é que a feira surgiu a partir de duas alunas: Bianca Morcelli e Yasmin Thayná Neves. As duas fazem parte do grêmio da escola.

A Feira Brasil tem o objetivo de fazer com que os alunos valorizem seu país e passem a conhecê-lo melhor. De que adianta conhecer o de fora e não saber falar da cultura do seu próprio país?

Infelizmente, alguns professores não aderiram à feira e com isso algumas turmas não participaram, pois não ganhariam nada em troca. A ideia seria mobilizar toda a escola e fazer com que a feira tivesse grande repercussão. Apesar de não ter sido como planejado, as realizadoras ficaram satisfeitas com o resultado e esperam que ela melhore no próximo ano.

Cada turma ficou responsável por um estado e como não havia turmas suficientes, algumas ficaram com mais de um. A turma que teve melhor atuação foi a do 1º ano de administração, que foi sorteada com o estado de Santa Catarina.

A feira teve participação de alunos do Colégio D.Pedro II de Realengo. Formado por crianças que tinha em média 10 anos, esse grupo apresentou o maracatu, uma dança típica do nordeste.

A feira também expôs poesias do Entre Linhas, trabalho realizado pela professora Ivone Landim, atual presidente do Conselho Municipal de Cultura de Nova Iguaçu. Ela deu apoiou total às meninas. Também havia pinturas e poesias feitas pelos próprios alunos.

Fui falar com Yasmin Thainá por indicação da Ivone Landim. Durante a conversa pude perceber que ela não era uma simples estudante de eletrotécnica. Ela tinha muito a compartilhar. Embora tenha apenas 17 anos, a estudante já é tida como uma referência na instituição.

Comecei a querer saber mais sobre essa menina que estava quieta num canto, apenas observando o andamento da feira quando cheguei.

Volta da Bahia
Yasmin também é responsável por outras mudanças dentro da escola, como por exemplo o cineclube. Seu envolvimento com a arte teve início depois de uma viagem para Bahia, onde se interessou por malabares. Na volta, começou a fazer parte das oficinas de malabares do Espaço Sylvio Monteiro. Depois começou a frequentar seminários e cineclubes, além de ler o Jovem Repórter, nosso primeiro blog.

Em 2009, Yasmin assistiu a um festival de dança no Top Shopping, onde umas meninas da escola estariam participando. Na volta para casa, encontrou com um menino que havia feito malabares com ela e esse falou sobre o Iguacine, festival de cinema que acontece uma vez por ano na Baixada Fluminense. De inicio não deu muita confiança. “Festival de cinema na Baixada? Tá de sacanagem, né?”, pensou ela.

Assim como muitos, não acreditava muito em Nova Iguaçu. Porém foi e não se esquece dos curtas que teve o prazer de assistir. A sessão estava marcada para as 18h, mas chegou às 16h. Yasmin não queria voltar pra casa e enquanto esperava teve o privilégio de conversar com o historiador Ney Alberto, com uma menina que ela não se recorda o nome que era professora, e com o segurança do espaço. Ela, que até então não conhecia muita gente ligada à cultura, começou a se envolver. A sessão teve início e Yasmin, que não acreditava no evento, no dia seguinte estava marcando presença. Como nos outros dias do festival, chegou na primeira sessão e só saiu na última.

Em 2010, fez uma oficina de curtas no SESC com Miguel Nagle e foi a todos os dias do último Iguacine. No Cineclube Digital, ela é presença garantida sempre e está sempre no Buraco do Getúlio, ainda que não seja tão fiel ao cineclube coordenado por Diego Bion.

Como que a escola estava ”mortinha”, teve a ideia de criar um cineclube lá dentro. E foi fácil de conseguir colocar a ideia em prática, pois a escola já possuía retroprojetor e telão.

Yasmin tem esperança de que dêem continuidade ao cineclube, mas por garantia procura sempre trabalhar com alunos do 1º e 2º anos, pois ela sai esse ano da escola. Também quer que eles deem continuidade à feira Brasil.

Os curtas e longas adquiridos para o cineclube foram presentes dos cineastas Marão e Miguel Nigel, alguns ela pega no youtube e também por intervenção.

Livros sobre o amor
Além de gostar de cinema, Yasmin gosta de escrever e ler. Aos 14 anos, ela escreveu um livro e hoje está escrevendo outro. "Ambos falam do amor", revela. Seu pai sempre a incentivou a gostar de ler. “Ele espalhava livros pela casa e sempre estava lendo. Eu vendo isso queria imitar”, afirma.

Aos 10 anos pediu de presente de natal um quadro-negro, onde escrevia algumas frases pra ensinar português a seus irmãos. Desde pequena sempre foi esforçada e pensava em ajudar os outros. O conhecimento adquirido não é guardado apenas para ela. "Acho importante compartilhá-lo."

Nessa idade, ela já se achava grande e por isso queria ensinar outras pessoas além de seus irmãos e resolveu colocar no seu portão uma placa, onde havia escrito: EXPLICADORA. Porém sua avó sempre tirava com medo de alguém vir perguntar sobre. Até que um dia ela driblou a marcação da avó e uma moça chamou. "Eu fui toda contente atender, até que quando a mulher descobriu que era eu a professora, nem me deu confiança. Eu chorei muito nesse dia", conta ela.

Aos 14 anos, perto de onde ela morava, havia um menino que tinha muito dificuldade em aprender, e ela o ajudou a ler e escrever. “Meu sonho é ensinar alguém a ler de verdade”, comenta.

Na Faetec, ela procura ajudar aos alunos dos outros anos e pretende ajudar muitas outras pessoas, independentemente da idade.

“A gente está aqui para ajudar o próximo, não pra prejudicar ou passar por cima. A gente tem que amar, pois quando você perde a sensibilidade de amar, não há nada mais importante”, afirma Yasmin.

Esse ano Yasmin presta vestibular e seu desejo é passar para a Rural, onde quer estudar Letras. Exatamente, LETRAS. Apesar de fazer eletrotécnica, ela, que já ficou em dúvida por ser apaixonada por física, teve certeza que deveria fazer letras ali mesmo na Faetec.

Quem despertou seu interesse pelas letras foi o professor de português Fernando Vieira. “As aulas dele são incríveis. Não tem como não gostar. E agora ele saiu da escola, pois está dando aula na Rural e lá a dedicação tem que ser exclusiva, e ele já me falou que está a minha espera”, comenta.

Yasmin já é tida como referência em algumas instituições. “Já fui abordada por alunos de outras instituições, como uma aluna da Ifrj que faz Produção Cultural e falou que lá eu sou uma referência e que por isso deveria pensar em fazer o mesmo curso que ela considerava ser a minha cara. E fui convidada por uma pessoa da Rural pra fazer outro evento, dessa vez relacionado à moda. Esse ainda esta só nos planos, porém se a ideia for acertada, o evento será realizado na própria Faetec”, comenta.

A família a apoia muito e diz que ela nasceu na família errada, pois eles são voltados para uma área totalmente diferente da que ela escolheu seguir, que é mexer com cultura.“Eu fico muito feliz com tudo isso, mas fico com medo de decepcionar as pessoas. Elas acreditam em mim, e por isso eu tento ser bem cautelosa”, afirma.

20 Comentários:

Josy disse...

Que matéria maravilhosa, Marcelle! Você soube costurar bem a questão da feira, o perfil e trajetória da Yasmin e o ambiente que a cidade proporciona em relação a cultura. Gostei muito!

Gabriela Noel disse...

Nossa maravilhosa mesmo, pena que a cultura ainda não é muito incentivada e aceita quando não há relação de interesses né?! ADOREI a matéria! Nova Iguaçu tem muitas coisas e muitas pessoas interessantes como essa menina por exemplo. Parabeens Marcelle, excelente trabalho!E parabens as meninas que tomaram a iniciativa pela feira.Espero que na próxima elas consigam mais apoio

Daniel Vinícius do Nascimento Martins disse...

Essa matéria é muito legal, está de parabéns Marcelle.A Cultura precisa ser um pouco mais valorizada aqui na Cidade de Nova Iguaçu.Naum só a nossa cidade, mas o Brasil precisa de Outras Yasmins para valorizarem um pouco mais a nossa Cultura Brasileira.

Joyce Cabral disse...

Marcelle vc é brilhante, clara e objetiva!Assim vc irá longe e eu torço muito por vc. Matéria muito bem escrita e de um bom gosto indiscutivel.

Barth disse...

Celinha, suas matérias estão num potencial
altissimo, acho que você deveria ir mais além e pegar mais desafios, como aquele que te disse, você tem capacidade suficiente pra ser totalmente imparcial e mostrar a
verdade ao mesmo tempo.
Não tenha medo de ariscar e errar,
tenha medo de não se ariscar.

To muito orgulhoso de você!
beijao, Barth.

Natassia disse...

muuiito show a materia,menina de ouro e esforçada, assim como vc Marcelle.. Parabeens pela materia.
beijos Natassia

dib malte disse...

Nossa a matéria fico perfeita marcelle . Está com qualidade e bem escrita. Não esperava menos de ti.
ta de parabéns viu ? te adorooooo amiga ... beijão
dib malte

Débora Miranda disse...

Adoreii a matéria, se a metade de nosso estudantes fossem assim, nosso país seria bem melhor! A matéria está ótima! Marcelle Abreu, você está arrebentando!!! Continue nos proporcionando ótimas matérias, viu?! Beeijoos* Débora

Yasmin Thayná disse...

obrigada Marcelle pelo carinho...

Diego disse...

nossaaaa..encantadora como sempre amigaa!!adorei!!
me surpreendendo cada dia q passa..bjos!!

Muito boa a matéria, quero mais!!!
Sempre falo que toda publicitária no fundo é uma ótima jornalista...srsrs
boa sorte nessa caminhada
beijokas

Rodolfo Macedo disse...

Caraca!

Marcelle parabéns!Ficou muito maneira a matéria,falou aí da história da menina que não vai parar enquanto não entrar na Rural,muito legal mesmo,teve coerência,sentido nas palavras!
Estou orgulhoso por você!Continue assim,siga em frente que irá longe!Saudades. Bjão do HOT haha :P

Felipe Villarino disse...

Excelente matéria.
Muito bem escrita mesmo.
Continue sempre buscando o aperfeiçoamento,pois esta proximo.rs*
Te amo

Fernando Vieira disse...

Eu (e um milhão de pessoas!) estamos orgulhosos de vc, Yasmin! Parabéns! Estaremos juntos em 2011, se Deus quiser!

Abçs

Vanessa Menezes disse...

Amiga tô muito orgulhosa de vc .. e a história dessa menina tbm e muito boa!
Dia apos dia temos que incentivar as pessoas a ler, estudar .. se interessar pela cultura da "nossa casa"!!!!
Te adorooo!
bjO !

Ribeiro disse...

Que orgulho minha Nora!!!
Excelente matéria.

didvianna disse...

Marcelle que perfeito...ja no inicio ta assim... essa menina tem o DOM ...rs muito potencial,expressou sua opniao de forma clara e objetiva.Muito boa a materia,sem contar que fiquei surpreendida menina novinha indo longe...serve para abrir os olhos da nossa geracao.bjOS e eh isso aii Cecelle minha.

Rafa disse...

Nossa, estou muito orgulhosa de você Marcelle, mas para falar a verdade eu ja sabia que ia ler uma matéria incriel, pois você se dedica e sabe muito bem o que faz. Parabens e que você continue progredindo. Beijooos, Amoo muiito vc amiiga!
Parabens mais uma vez, que Deus te abençoe!

Laise Villarino disse...

Parabéns pela materia cunhada...está muito bem escrita,adorei!

bjoss
amo vc!
s2

Anônimo disse...

O pessoal da elogiando a matéria ou puxando o saco da mercelle???

Postar um comentário

 
 
 
 
Direitos Reservados © Cultura NI