Chapa quente

quinta-feira, 14 de abril de 2011

por Yasmin Thayná



“Oi, gente! Eu sou a Suh Bombom Pimentinha e estou aqui de novo para mandar pra vocês, o top, opa, pêra aí: que top que nada patricinha na balada. Anda de salto Pink, sainha apertada, blusinha de neon a patricinha na balada e ela passa rebolando, descendo até o chão olha só a patricinha ao som do tamborzão. Cuidado: eu sou patricinha, mas no fundo eu sou perigosa. Toda patricinha no fundo é perigosa. Pepe perigosa...”

Frequentadores de redes sociais, ao ouvir esses versos, já sabem de quem se trata: a Top na balada.

Top na Balada, ou Suh Bombom Pimentinha, @SuhBBPimentinha tem um objetivo enviar os vídeos por intermédio dos quais dialoga com os 7 mil internautas que a seguem no microblog Twitter: “eu me aceito do jeito que sou.”

Filha de Leisira Izidoro, que é casada com Alexandre Bittencourt, Suellem Roberta Izidoro é paulista, mora em Diadema, interior de São Paulo, tem 23 anos, é auxiliar administrativo na Concessionária Ecovias dos Imigrantes desde 2007. Técnica em informática e estudante de segurança do trabalho por ter dúvida em várias profissões, escolheu estas por ter descoberto uma que poderia lincar todas as outras que gostava.
O pai de Suellem foi substituído por Alexandre, que é seu padrasto, por uma questão de amor que foi muito bem resolvida, mas também causa certo medo em relação a seus irmãos que não conhece. “Meu pai não teve interesse nenhum em querer me conhecer. Ele mora a 15 minutos da minha casa e nem sei como é a face dele. Sei que tenho vários irmãos homens... Já pensou ter um filho de um irmão meu? Vira e mexe ele encontra com a minha mãe e diz que vai me ligar. Ainda bem que não acredito em Papai Noel, muito menos em coelho da páscoa. Sou do tipo da pessoa que se você diz A é A não é A+. Se você marcar comigo 7h é 7h não é 06h59 nem 07h01”.

“Chocolate por fora com um toque de pimentinha por dentro. Costumo dizer que sou apimentada e comigo a chapa esquenta.”

Existem twitters em que pessoas utilizam a própria imagem, mas criam um personagem delas mesmas. A Suh Bombom Pimentinha não é bem isso. “Não vivo de fantasias. Sou eu mesma”, frisou dizendo em seguida o porquê do bombom acompanhado de pimentinha. “Suh de Suellem. Bombom desde menina por causa dos meus seios e do tom de pele. Pimentinha porque quase morri quando inalei gás de pimenta (sou alérgica).”

“Solteira sim. Sozinha, nunca”, diz a frasista Bombom Pimentinha, que está sempre acompanhada dos seus seguidores e dos amigos que a admiram na cidade onde vive e até mesmo de outras. “Às vezes tenho vergonha. O mais legal é quando me acordam de madrugada no NEXTEL gritando e dizendo que estão na balada ouvindo a minha música. Muitos me ligam de várias cidades e pedem pra eu cantar o Top na Balada e Patricinha Perigosa.”

Com cerca de um ano de Twitter, Suellem usa o microblog para postar seus vídeos, pensamentos e ser ela mesma em mais de um lugar. Apesar de não saber o porquê de tantos acessos, porém, uma certeza ela tem e sempre diz, quando alguém quer ofendê-la: sai daqui ô recalcada porque eu sou Top na Balada. “Todos somos o que queremos ser e eu sou Top na Balada. Personagem? Jamais. Sou eu mesma, meu bem. Esta sou eu e me aceito como eu sou. Muitos falam mal, mas eu não ligo. Só desço do salto quando me chamam de gorda ou de preta. Pera aí. Só porque eu sou gorda não posso ser TOP? Porque sou negra não posso ser uma DIVA? Cada um é o que quer ser. Eu me aceito.”

No youtube, é possível acessar alguns vídeos que Suellem fez, além das twitcam. O hit mais conhecido é o Top na balada, que tem quase 800 mil acessos e já virou o sobrenome dela na rua. “A música é minha e foi gravada em uma brincadeira com a afilhada da minha mãe. Na rua, as pessoas não me conhecem como Suh Bombom e sim como Top na Balada.”



A proposta de Bombom Pimentinha não era ser famosa ou querida por todos. Ao criar um perfil, ela tinha o mesmo objetivo da grande maioria: compartilhar seus gostos e mostrar de forma clara quem ela realmente é, mesmo quando canta na frente de uma câmera. “Várias pessoas me chamam de DIVA. Nunca quis ser famosa e nem querida por todos. Foi apenas uma brincadeira caseira. Houve alguns comentários negativos que resolvi debater. Não é porque você acha que eu não canto que eu não vou cantar, muito menos porque acha que sou feia que vou deixar de aparecer na internet. As pessoas têm que aprender a se respeitar. Cada um tem as suas diferenças, nem as digitais são iguais. Então não é porque não tenho o seu padrão de beleza ou o seu estilo de música que você pode se achar no direito de me criticar”, protestou.

A música Top na balada foi feita numa festa para uma menina que estava no mesmo ambiente que ela. “A letra foi feita na balada para uma novinha recalcada que estava se doendo porque eu era a TOP NA BALADA. Ela com aquele corpinho perfect não conseguiu chegar nem perto de onde cheguei”, explica.


Com muitos acessos, um fã-clube e vídeos de adolescentes representando o hit mais famoso dela, Suellem se considera uma pessoa simples, determinada e que tenta falar com todos que gostam do jeito dela. “Me sinto nas nuvens vendo pessoas cantando a minha música. No twitter tenho fã-clube e tenho um carinho enorme por eles. Tento responder as pessoas o máximo possível. Tento dar a devida atenção a cada um.”

Suellem, que ama balada e adora ver gente na night, tem um gosto para lá de eclético, que abrange de Elis Regina a Mr. Catra. “Amo a música e a arte de dançar. Sou fã de Filhos do Sol, Os Pecadores, Grupo V³, Mr. Catra, Djavan, Fat Family. Cresci ouvindo Elis Regina. Uma das mais brilhantes obras da MPB e ela também tem o mesmo apelido que eu, Pimentinha, que Vinícius de Morais colocou. Gosto do Tim Maia, Madonna, Ivete Sangalo, Psirico, Oz Bambaz, Parangolé. Sou fã de BBB e também sou estudiosa. Gosto de rir e fazer as pessoas sorrirem. Sou nega maluca, doida de pedra, deixo quem quiser falar. Bi bibi biruta eu chego e faço a poeira levantar. Amigos, conto nos dedos. Colegas, tenho vários. Mr. Catra tem um lugar especial nessa seleção. “Ele é uma pessoa super gente fina. Até conhecê-lo eu tinha medo. Depois que conheci... Meu, que negão cheiroso! Que pessoa de mente brilhante!...”

Top na Balada, Suh Bombom Pimentinha, patricinha perigosa, Suellem Roberta Izidoro, deixa um recado para os leitores do culturaNI. “Como disse anteriormente, somos o que queremos ser. Eu sou TOP, mas isso não significa que outros não possam ser. Costumo dizer: não queira ser top, seja. Seja simplesmente você. Um beijo”, finalizou com classe.

3 Comentários:

Marcelle Abreu disse...

"Costumo dizer: não queira ser top, seja. Seja simplesmente você".
Parabéns pela excelente matéria, Yaya.

Roberto Andrade disse...

Eita pescoço sujo!!!

Vem cá pra que essas duas melancias voando que coisa mas ridicula se toca vc deveria se da o respeito ne aff

Postar um comentário

 
 
 
 
Direitos Reservados © Cultura NI