Baixada sem ócio

terça-feira, 3 de maio de 2011

por Raize Souza


“Eu sou movido pela capoeira, eu sou movido pelo berimbau” - é um trecho de uma das músicas cantadas na roda de capoeira do grupo Associação de Capoeira Engenho, que se apresentou no Sesc de Nova Iguaçu no última dia 30, dia da Baixada.

O evento foi coordenado pelo contramestre Chumbinho, que pratica capoeira desde 1994 e que ganhou esse apelido porque quando começou era uma criança pequena e magrinha. O contramestre não deixou que nenhuma das crianças presentes ficasse acuada. "Jogar capoeira é importante porque dá ritmo, equilíbrio, disciplina, respeito às diferenças e tira a criança do ócio", diz Chumbinho.

Caio Ramos já assimilou a importância da capoeira em mente. ”Gosto muito, aprendo muitas coisas e tira a gente da rua”, diz o menino, que sente adrenalina e felicidade quando pratica capoeira.

Felicidade também foi um sentimento expressado pela aluna Graziela Fernandez, de apenas quatro anos. Sua mãe, Gilza Silvino, fala do entusiasmo da filha pela capoeira. "Em casa, ela forra o colchonete e fica fazendo cambalhotas, treinando passos e ansiosa para a próxima aula", conta Silvino. Graziela faz capoeira há quatro meses.

Várias pessoas que passavam se rendiam ao ritmo e arriscavam alguns passos. A maioria, no entanto, ficava apenas olhando este esporte que mistura dança, luta, jogo, música e que acima de tudo é patrimônio cultural brasileiro.


Para quem tem interesse em praticar, as aulas acontecem no Sesc de Nova Iguaçu nas terças e quintas das 18h30 às 20h30 e aos sábados das 10h30 às 13h30. Para o sócio, a mensalidade é R$ 25 e, para o não sócio, R$ 35. A idade mínima para as aulas é de três anos.

Haverá um encontro feminino, chamado Ginga da Mulher, coordenado pelo Mestre Lua. Será no dia 21 de junho, às 15h, ainda sem local definido. Para mais informações, acessar o blog: http://mestreluacapoeira.blogspot.com

3 Comentários:

Thaisa Lopes disse...

É muito importante patrocinar a divulgação da capoeira! Se pensarmos que no exterior esse misto de luta e dança, cheia do gingado típico do povo brasileiro, faz um estrondoso sucesso, enquanto dentro do próprio país sua divulgação é feita em menor escala. A participação de crianças é interessante para garantir que a capoeira permaneça como traço importante da cultura brasileira!

Elaine disse...

Essa ARTE DA CULTURA BRASILEIRA, deve ser bastante difundida, pois além de fazer bem para o corpo, a alma e a mente, ainda resgata a cidadania de muita gente sem esperanças.Conheço pessoas que mudou totalmente de vida após a prática da capoeira.

fabio disse...

A CAPOEIRA significa raízes brasileira. Por isso, a impotancia de ser repassada de geração em geração. É preciso ser bastante divulgada.
Parabéns pela matéria.

Postar um comentário

 
 
 
 
Direitos Reservados © Cultura NI