Todos os dias são de Zumbi

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

por Jéssica de Oliveira


Mais uma vez, a Escola Municipal Ivonete dos Santos Alves se destaca no quesito “cultura afro-brasileira”. Devido ao feriado nacional de Zumbi dos Palmares – 20 de novembro, o culturani procurou a escola de Jardim Pernambuco, para saber como vão os projetos que, há dois anos, vêm sendo realizados. Tivemos a grata satisfação de saber que, lá, todo dia é dia de Zumbi.


Mais do que comemorar o feriado da próxima sexta-feira, a escola de Jardim Pernambuco trabalha no sentido de fixar o tema na grade curricular. “Com o objetivo de valorizar a cultura afro-brasileira e construir o caráter e a autoestima de nossas crianças, criamos o programa que envolve toda a escola, chamado 'Resgatando, Recontando e Reescrevendo a Cor da Nossa Cultura'”, conta a Coordenadora Político-Pedagógico Andreia Quirino.


Além de todos os trabalhos que envolvem pesquisas e debates entre os alunos, a escola desenvolve o projeto Ivonete In Lata, uma banda de materiais recicláveis que reúne todas os alunos da escola. “Nós conseguimos latas de tinta e de achocolatado e cabos de vassoura; daí, é só usar a criatividade e transformar o que antes era lixo, em instrumentos musicais”, esclarece a professora Raquel Costa, coordenadora da banda.

O Ivonete In Lata não se limita a fazer com que os alunos explorem a cultura afro, já que o ritmo provém do tão famoso Olodum. “A mera participação de uma banda, com todas suas regras, disciplina as crianças”, acredita Raquel Costa. O Ivonete In Lata vai participar da culminância agendada para o final deste mês, quando serão apresentados os resultados de meses de trabalho no projeto Resgatando, Recontando e Reescrevendo a Cor da Nossa Cultura

Embora esteja motivada com o trabalho da culminância, Raquel Costa tem consciência de que o evento deste ano não está à altura do que foi promovido no ano passado. “Na nossa última culminância, nós trouxemos o Macedo Griot, famoso contador de histórias, um grupo de capoeiristas e estudante da UFRRJ que nasceu em uma país da África para que os alunos tivessem um contato mais próximo com a cultura afro”, lembra a professora, que, embora não tenha um centavo para oferecer de cachê, não perde a esperança de conseguir nomes tão expressivos para a festa de Zumbi.

Através de suas atividades, a Escola Municipal Ivonete dos Santos Alves faz com que as crianças sintam orgulho de sua descendência, aceitando e respeitando a diversidade que as cerca. “Isso devia ser feito por todas as escolas”, alerta a CPP, lembrando que desde 2003 a Lei 10.639 institui a obrigatoriedade da inclusão da História e Cultura Afro-Brasileira no currículo de todas as escolas.

1 Comentários:

luana disse...

jéssica uma pena,na sua matéria não conter a participação dos mediadores culturais.
Apenas uma ratificação a sua matéria, em relação A LEI 11.645,DE MARÇO DE 2008 QUE
ALTERA A LEI 10.639,DE 9 DE JANEIRO DE 2003,QUE ESTABELECE AS DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO NACIONAL,PARA INCLUIR NO CURRÍCULO OFICIAL DA REDE DE ENSINO OBRIGATORIEDADE DA TEMÁTICA "HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA E INDÍGENA."(LDB)

Postar um comentário

 
 
 
 
Direitos Reservados © Cultura NI