Iguacine em Síntese e Antítese

quarta-feira, 21 de abril de 2010

por Tuany Rocha 

Critica Iguacine
E termina o Iguacine como uma colcha de retalhos ou um mosaico de arte e cultura?
Nos cinco dias do evento se falou de vida, como no trabalho de Leonardo Sette em “Confessionário” e de cidade em “Polis”, de Marcos Pimentel. Falou-se de esperanças com “O presidente”, de Luiza Favale, e de sonhos como no curta “Ensaio de cinema”, de Allan Ribeiro.

Tivemos rostos consagrados como o de Cacá Diegues e Jorge Duran, e rostos em busca de consagração como o do jovem Ben-Hur, do filme “Sorte”, e de Getúlio Ribeiro com o curta “O que vai ser”, se brincou com Bruno de Oliveira em “A Infância de Margot” e com Elisandro Dalcin e Nélio Spréa em “Brincantes”, se inovou com “Recife Frio” de Kleber Mendonça filho, também nos apaixonamos com o curta “Carreto” de Marília Hughes e Cláudio Marques e até nos surpreendemos com a brandura da arte e beleza em uma nova visão da morte, como em o “Último Retrato”, de Abelardo de Carvalho.
Tivemos o amadorismo responsável dos jovens repórteres, e o profissionalismo displicente de um tele jornal. Tivemos broncas carinhosas como as de Julio Ludemir e o desprezo de ilustres visitantes. Tudo para se falar, ouvir e ver a arte e a cultura.
Mas aí eu retorno a pergunta inicial, quando indago:
“Iguacine como colchas de retalhos ou um mosaico de cultura e arte?”
Procurei saber qual a diferença entre cultura e arte, e descobri que a cultura é tudo aquilo que o homem produz em uma sociedade, e arte é uma forma de representação de uma cultura, e isso foi até “fácil” descobrir, mas o que se tornou mais difícil seria fazer a distinção entre cultura e arte, e cultura e arte na Baixada Fluminense. Há muito tempo a Baixada Fluminense vem sendo negligenciada com relação à cultura e à arte. Negligenciada pelo poder público, pela sociedade de um modo geral.

"Afinal, existe cultura na Baixada?”
Fica difícil responder essa pergunta se nem mesmo os moradores da baixada forem capazes de respondê-la.
Natureza de todos nós
Em uma entrevista para o culturani, o secretário de cultura de Berford Roxo, Rômulo Costa, diz ter vontade de realizar um evento como o Iguacine em seu município, mas depois se justifica dizendo que o povo de Belford Roxo não tem saneamento básico, nem água ou esgoto e por isso não se interessa muito por arte.
Não é difícil compreender a posição do secretário de cultura de Belford Roxo diante de uma dura realidade, mas o que não podemos esquecer é que cultura e arte estão em toda parte, e é algo que faz parte da natureza de todos nós.

Quem não faz arte, vê arte, e quem não vê arte é capaz de sentir arte.

O Iguacine não foi o divisor de águas entre cultura e cultura, entre arte e arte, porque cultura e arte se distinguem por si só.
Guernica é bonito, foi Pablo Picasso quem fez, mas também é muito bonita a mulher retratada em grafite na coluna da rodoviária de Nova Iguaçu, porque a visão da cultura e da arte está nos olhos de quem vê e um momento como o Iguacine e muitos outros certamente virão, não para dar a oportunidade de ver, mas de enxergar, como fez Claudiomar, de 17 anos, um jovem estudante do 3º ano do ensino médio na escola Arruda Negreiros em Nova Iguaçu, que diz: “Eu adorei tudo, achei lindo e queria saber mais dos filmes.”

Detalhe, Claudiomar é deficiente visual e que mesmo sem ver, ele pode enxergar que cultura e a arte só ocupam um espaço, aquele onde é por direito, por razão e por mérito de ser.

 

28 Comentários:

Morador de Belford Roxo disse...

Que texto maravihoso Tuany, lindo encerramento para a série de matérias sobre o Iguacine.

Sobre a declaração de Rômulo Costa: "depois se justifica dizendo que o povo de Belford Roxo não tem saneamento básico, nem água ou esgoto e por isso não se interessa muito por arte", e que "continuem" sempre assim, né?! Que discurso preguiçoso e preconceituoso...
Existe cultura sim na Baixada. E sim também em Belford Roxo, independente das limitações impostas pelo desleixo do poder público. Por que será que ele não enxerga nosso interesse?

Anônimo disse...

Morador de Belford Roxo,entendo plenamente sua indignação, mas peço que releia o texto lendo nas entrelinhas da questão.
Em entrevista aqui mesmo nesse espaço, o secretário de cultura Rômulo Costa fala da prática de procurar dá voz a população de Belford Roxo, no que diz respeito a questão da arte e cultura dessa cidade.
E quando te peço que leia nas entrelinhas, é justamente procurando entender que mesmo algo ñ podendo estar em detrimento de outro, fica muito difícil se falar de arte sem que se ponha de modo emergencial questões como a dignidade de uma população carente de tudo...inclusive do reconhecimento de seu valor cultural e artistico.
(BEBEL)

naTi disse...

Cara preconceituoso esse heim..
;/

Bob Pai disse...

Parabéns pelo texto Tuany...fico emocionado e muito feliz em ver pessoas com sua atitude e amor incondicional a causa da arte!!!

Bob pai

Silvino disse...

E termina o Iguacine como uma colcha de retalhos ou um mosaico de arte e cultura?

Ant Kaos disse...

Afinal, existe cultura na Baixada?
Apenas o som do Batdão que foi tombando como patrimônio.
Sarcasmo On!

Leonardo disse...

Parabéns pelo texto

Jean Brasil disse...

Olha ,muito boa matéria ...as informações sobre o iguacine foram otimas e tão esclarecedoras que eu senti que estava presente lá no evento...E é uma verdade isso da Baixada fluminense está sendo negligenciada em relação a cultura e arte...muitas vezes as pessoas são forçadas a se deslocar para outros bairros para conseguir um pouco de cultura, um pouco de arte , para conseguir crescer como ser humano.E enquanto o que o secretário disse, na minha opinião ele foi infeliz no seu comentário por q se ele é secretário de cultura, ele tem que utilizar esse poder na cultura , na arte lógicamente...O saneamento não está no alcance dele e sim do outro secretário demandado para a área de esgoto,água ,etc. Eu acho no meu ver, que o povo não se interessa por arte em Belfordroxo "Senhor secretário", por que eles não vêem esforço nenhum em relação a trazer cultura e arte para os cidadãos ,não vêem um evento como o iguacine. Desse jeito fica difícil se interessar por arte , fica muito difícil.

O contato com a cultura é fundamental, saneamento basico é dever, acesso a arte para todas as classes é direto
Parabéns pelo texto Tuany...

Anônimo disse...

Lindo texto...
Irônico e bastante critico
E o lance da cultura, esse secretário deve ser alguém que sabe pouco de cultura.

Anônimo disse...

Ótimo texto.

Parabéns ao pessoal do Iguacine. Sou de Minas e compareci ao festival. Gostei muito da organização e dos filmes que eu vi. Festival com clima bom de cinema.

Parabéns pelo texto.

Abraços.

André
Fantasmas

Kurt Punk disse...

Tuany, como muitos já disseram, é um lindo texto.
Suas palavras, reafirmam cada vez mais à cada verso, sua idéia fixa.
Acho lindo a forma na qual defende a arte, a cultura, a arte na cultura e a cultura na arte.
Tudo em conjunto. Eu entendo a cultura como a mais bela e pura expressão do que vem de dentro, da alma.
E penso que você deixa isso ao entender do interlocutor com suas palavras.
Belissimo trabalho, querida! Continue sempre. Parabéns!

Mariella disse...

Sem cultura um povo não tem auto-estima. A cultura leva ao conhecimento dos direitos e à busca/luta por melhores condições de vida. Um pouco sem cultura se rebela, mas não consegue levar sua rebeldia adiante de forma que ela possa transformar a realidade, e ela acaba virando auto-destruição.

Anônimo disse...

muito bom este texto parabéns !!!!!!!!!!!!

Mr. Science disse...

Sensacional.
“Quem não faz arte, vê arte, e quem não vê arte é capaz de sentir arte.”
Arte é “...uma imperiosa e imprescindível necessidade de expressão, diferente em cada raça e em cada estágio cultural, mas comum a todos os homens”
O que distingue a arte é o fato dela ser fruto de uma ação humana deliberada.
Você representou bem seu texto indicando a baixada fluminense

Anônimo disse...

Acrouch; Eduardo Garcia - pesquisador científico Cnpq.

Iguacine é um referencial de diginidade e respeito ao povo da baixada, cultura e arte estão em todos os lugares e precisão de apoio e incentivo para desaflorarem, Claudiomar sabe disso, mas Rômulo Costa ainda naum enxergou.

Tuany, texto belo e coerente.

Anônimo disse...

Parabens pelo Texto Tuany!!! Ficou muito bonito!!
Queria ter ido pro Iguacine =/
Beijooosss

Anônimo disse...

Belo texto Tuany, em alguns momentos lúdico e outros bem verídico, capaz de nos transportar um universo cheio de indagações e questionamentos.
Parabéns.

Anônimo disse...

Mandou muito bem mesmo Tuany, como moradora de Belford-Roxo não consigo não ver cultura e desinteresse pelo povo em fazer arte ... consigo enxergar apenas o descaso do poder público com a população, e que ainda usa seu próprio desrespeito com o povo que o elege para continuar fazendo nada. Muito preconceituoso sim o comentario de Romulo Costa, ora se o povo ''não se interessa muito por arte'' pela falta de saneamento básico, água ou esgoto porque então não se faz nada para que esses problemas sejam resolvidos?

Anônimo disse...

Muito bom mesmo !

Gostei muito a cultura é muito importante !
Continua assim linda ...

Parabéns

Anônimo disse...

arte estão em toda parte, e é algo que faz parte da natureza de todos nós.
parabéns Tuany ficou muito bom! :D
ass:Brankinho
minha arte é desenhar *-*

Julia Strauss disse...

Tuany, belíssimo texto, muito bem argumentado, e o tema muito interessante.... gostei muito.. Belo trabalho... Continue assim querida !

Julia Strauss

Anônimo disse...

Belíssimo texto parabéns.

Anônimo disse...

Arte é somente um aspecto da cultura, importante q se diga que é cultural saber q boldo faz bem pro estômago e que faz parte da cultura argentina protestar quando há aumento no preço do tranqporte público, a arte se está na vontade de um indivíduo em demonstrar sua visão de mundo interpretada mediantew o seu nivel de cultura sendo étnica ou globalizada...
Caio Cesar

Abrahão Andrade disse...

Tenho de concordar com o "morador de Belford roxo" achei um quê de conformismo no discurso do Sr. secretário Rômulo Costa,a arte é uma ferramenta transformadora,a parte da engrenagem de todo o maquinário social,nessa perspectiva, criar o gosto pelas manifestações artísticas não está necessariamente ligado à fatores econômicos.

Como já foi dito, a cultura devolve a autoestima ao povo,então nunca é demais.

Abraços


Abrahão Andrade

Diego Lucas disse...

O texto ficou ótimo Tuany, achei totalmente infundado o comentario do secretario, o povo por não ter saneamento etc não se interessa por arte? Será que ele já ouviu falar nas tantas organizações artisticas que tem pelas favelas do Rio de Janeiro? Grupos de teatro, musica,etc...acho q isso é arte não?

- All disse...

Palavras admiráveis Tuany, suas reflexões sobre o tema são ótimas. Parabéns =)

Tiago Menezes disse...

Se um Secretário de Cultura não se interessa pela arte, acho que está no lugar errado.
Já que os moradores "fogem" da Baixada atrás de cultura e arte, fica claro que falta incentivo governamental para a população local.

Aguá, esgoto, seneamento são as bases!

Tiago Menezes

Postar um comentário

 
 
 
 
Direitos Reservados © Cultura NI