Sem tempo ruim

sábado, 17 de abril de 2010

por Vinicius Tomas

Crítica Recife Frio


Em tempos de mudanças climáticas, existe o temor da perda de hábitos e prazeres relacionados aonde se vive. Como o calor excessivo, que tira o prazer de se tomar um cafezinho, ou dias de chuvas tão fortes que impedem o exercício do direito de ir e vir, como recentemente aconteceu no Rio de janeiro. São situações isoladas: nem todo dia chove ou faz um calor absurdo. Mas o filme "Recife Frio" é uma visão de uma mudança radical, permanente e isolada de clima na capital de Pernambuco. Uma cidade que não sabia o que era frio passa a conviver com chuvas constantes e clima europeu após a queda de um meteorito. Em uma inteligente narrativa o diretor e roteirista Kleber Mendonça Filho conta a historia como um documentário de uma TV argentina que vem para analisar os efeitos da inusitada situação, questionando sobre como o repentino frio afeta a vida dos moradores.


Mais do que apenas um “O Dia depois de Amanhã” tupiniquim, "Recife Frio" explora o frio como uma analogia à violência, já que ambas levantam muros, fecham janelas e empurram as pessoas para o isolamento, seja em suas casas ou em shopping centers. A incompatibilidade da arquitetura de uma cidade tropical com o clima frio se relaciona com o medo e a desigualdade social, como uma chuva torrencial, a violência cerceia o direito de ir e vir. Tudo pontuado pelo bom humor, como os elogios de um Papai Noel profissional às ideais condições de trabalho. O filme se desenvolve mostrando diferentes situações, desde a chegada de pinguins na praia de Boa Viagem aos lamentos de um dono de pousada com a fuga dos hóspedes.

Um curta brilhante, que arrancou aplausos do público na 3ª sessão da Mostra Competitiva Nacional com seu realismo fantástico a serviço da crítica social. Destaque para o belo final com a cirandeira Lia de Itamaracá, ícone da musica pernambucana, cantando na praia com outros recifenses. Todos devidamente encasacados.


1 Comentários:

Liaira Fernanda disse...

Realmente, frio é uma coisa meio inusitada em Recife... Fiquei muito curiosa sobre o filme...

Postar um comentário

 
 
 
 
Direitos Reservados © Cultura NI